Você saberia me dizer se é uma pessoa afinada ou desafinada, se você é um cantor que afina mais ou menos ou que é completamente desafinado?

Parece um assunto muito simples, muito fácil de se entender e de conhecer as respostas para essas perguntas. Mas vou te apresentar nesse artigo dicas e um exercício fundamental para que você compreenda de uma vez por todas se está afinando ou não. Está preparado? Vamos lá!

Primeira dica!Em primeiro lugar você precisa entender que deve desenvolver seu ouvido interno realizando uma forma natural de monitoração. Existem alguns equipamentos que podem te ajudar a se monitorar, se você tem um fone no seu celular e consegue cantar e se ouvir, se você tem um computador ou se você tem uma placa de som interface são saídas excelentes para você se auto monitorar. Mas vou te dar essa dica, uma forma muito simples para que você consiga mensurar como está indo o seu ouvido interno.

Você vai fazer o seguinte, coloque suas mãos em suas orelhas, faça o formato de concha e leve para próximo da boca (minuto 01:15). Primeiro, você vai falar “oi, tudo bem? Como vai você?”, e vai começar a assimilar a sonoridade e o timbre da sua voz.

Num primeiro momento você só vai falar ou ler um texto fazendo essa concha próximo da boca. Pois parece muito simples pôr pessoas para cantar de início, mas muitas pessoas não têm essa percepção da própria voz falada.

Em segundo lugar você vai cantar uma música que gosta. E vai perceber a forma que está ouvindo esse som, porque é muito mais parecido com o real o som com essa concha acústica do que simplesmente cantar sem ter essa referência de monitoração. Cante uma canção e veja se você reconhece ou não sua voz.

É comum nas aulas as pessoas falarem “professor, minha voz no telefone, na secretária eletrônica é horrível, quando gravo no celular é péssima” e assim por diante. Inclusive isso é muito frequente entre alguns cantores que já estão na estrada e mesmo assim não aceitam o seu timbre ou coisas do gênero.

Segunda dica!Tenho um exercício para você realizar usando o humming, um murmurado. Vou apresentar para vocês na tonalidade da voz masculina (minuto 03:15) e na tonalidade da voz feminina (minuto 04:25). Agora vamos juntar as vozes masculinas e femininas subindo de meio em meio tom a escala do exercício (minuto 05:08). Uma dica é que não realizem o exercício com a voz soprada demais, use a voz falada, o seu speaking voice e vá ouvindo o que acontece com sua voz nesse período. Você também pode gravar no seu celular ao mesmo tempo em que realiza o exercício, mesmo que a tua voz esteja numa situação que o som não te agrade e que esteja cantando desafinado, ouça a gravação até o fim. Isso é muito bom e vai te ajudar no seu desenvolvimento.

Imagine que o seu som deve estar semelhante à vibração, ao timbre e à sensação do piano, para os homens no grave e para as mulheres no agudo. A voz nessa região é chamada de ‘’voz de peito’’, porque sentimos uma vibração simpatética na região do nosso peito quando a realizamos, é uma vibração que vem ‘’por tabela’’ para essa região. Na realidade essa voz é só um termo clássico que a gente usa para representar essa sensação, cientificamente ela não existe. Mas esse termo é importante porque facilita a comunicação entre professor e cantor.

Como foi a sua experiência? Deixe nos comentários, eu quero saber se você fez o exercício afinado ou desafinado, se sentiu animado ou desanimado, se gostou da sua voz ou não. Me conta como foi, um grande abraço e até mais!